segunda-feira, 12 de agosto de 2019

Hiroshima Haicais * Antonio Cabral Filho - RJ

Hiroshima Haicais
 *Dazibao Gaijin Haicais*

Rosa cancerígena,
tomando conta do espaço:
Cinza nos pulmões. 
Antonio Cabral Filho . Rj

Rosa que chora:
Olhares apavorados
Corpos soterrados
(Lucy Almeida Al)

Menina que corre.
 A Paz destruída: guerra.
Natureza morta. 
Adriano de Alvarenga Azevedo - RJ

Pétalas de cinza...
Jamais serão de Hiroshima
rosas do meu tempo!
Messias da Rocha - MG

Arde Hiroshima:
Truculência do homem 
Eu, rosa menina 
Lucy Almeida Al

Passado sangrento
Na terra do Sol nascente.
Hiroshima em cinzas.
Silvia M.S.- Irati Pr

A bomba atômica
Cidade de Hiroshima
Consequências graves
Luzia Rodrigues - AL

Explosão que causou
Várias vítimas mortais
Distruiu Hiroshima
Luzia Rodrigues - AL

Perversidade 
Falta de humanidade:
Rosa ardente!
Lucy Almeida Al
*

sábado, 2 de fevereiro de 2019

Filipeta de Haicais nº02 / Jan 2019 * Antonio Cabral Filho - Rj

Filipeta de Haicais nº 02 / Jan 2019
-Pedra do Cão, Nova Friburgo.Rj-


Ao cair da tarde,

Cigarra vibra a corneta:
Era marcial.
Antonio Cabral Filho.Rj
*

Belo show de fogos

praia lotada de gente:
Viva o ano novo!
Ester Figueiredo - Rj

VERSÍCULO SEGUNDO


Sigo meu
caminho solidário 
fazendo do
teu corpo 
itinerário...
Aluizio Mathias- RN

Fogos estourando.
Pessoas gritam felizes.
Gol do meu Vascão!
Oliveira Caruso - RJ

Montanha em chamas

fogo consumindo tudo
natureza morta.
Ester Figueiredo Rj



Sigo atalhos
Em veredas de sonhos
De um céu nublado.
Cadu Araújo - RN 

Feliz ano novo.
Só que não... Tem Carnaval!
Depois deste aí sim!
Oliveira Caruso - RJ 

Brisa reticente
ronda a saia da morena:
Zéfiro pudico.
Antonio Cabral Filho.Rj

A musa no céu
desfilando a beleza:
lua encantadora.
Ester Figueiredo Rj

Vento sudoeste
dança com as ondas do mar:
Democracia.
Antonio Cabral Filho.Rj

Bem-te-vis cantando
numa alegria sem fim:
coral matinal!
Ester Figueiredo - Rj

Domingo de sol:
Mamãe, papai e filhinhos.
na praia deserta.
Antonio Cabral Filho.Rj

Sol cedo fervendo
eu e meu ventilador
ambos derretendo
Ester Figueiredo RJ 

Maçarico a mil:
Ouro jorra sua lava,
peremptoriamente.
Antonio Cabral Filho.Rj

Bom dia Rei Sol!
Esta manhã luminosa
devemos a ti.
Antonio Cabral Filho.Rj

Já ouço  trovões
e a chuva tão prometida
lava os corações.
Ester Figueiredo. Rj

Luto em Brumadinho
Rompimento de barragem
Crime ambiental
Isac De Melo
Rio Branco Acre

PROCURA

fujo para mim mesma
Sempre que é preciso encontros
ha buscas e encantos
Lina Ramos.PI

A pele da terra
Descama-se em lama
Desvalida vida.
Edil Cleuton

Não tem majestade,
mas não vive sem coroa:
Rei abacaxi.
Antonio Cabral Filho.Rj

Tsunami de lama
anuncia o apocalipse:
Oh Brumadinho...
Antonio Cabral Filho.Rj

Perfume no ar
exalado com frescor:
a dama-da-noite.
Ester Figueiredo. Rj
...

terça-feira, 1 de janeiro de 2019

Filipeta de Haicais nº 01 Dez 2018 * Antonio Cabral Filho - Rj

*Filipeta de Haicais nº 01 / Dezembro 2018*
- Flor do Baobá-
Dazibao Gaijin Haicais

A língua de fora:
no solstício de verão
a cadela chora
Araken Guedes Barbosa - PE

Sobre a areia quente:
um lagarto pisoteia
na ponta dos pés 
Araken Guedes Barbosa - PE

Bolo de fubá,
saindo do forno agora:
saudade da roça.
Ester Figueiredo - Rj

Apos a queimada,
um broto surge das cinzas:
A vida resiste.
Antonio Cabral Filho - Rj

Eu de canoa
Cruzando as águas de um rio
Que vida boa!
Isac de Melo 
Rio Branco Acre

Areia quente paca!
Cão, tatu, gato também
estão derretendo!
Oliveira Caruso - RJ

Cedo e o sol a pino,
suor descendo no rosto:
verão causticante.
Ester Figueiredo - Rj

Roubei uma flor
Dei a ela de presente
Um brinde ao amor
Isac de Melo
Rio Branco Acre

Adeus meu amor

Preciso seguir com a revoada
a primavera chegou.
&
 Fé haikai

Coincidência
é modo de Deus 
permanecer anônimo.
&
Falo com estrelas...
Louca?
Nem por um punhado de vento!
&
Idas e voltas
Reverência a tua sorte
Brindes à morte
&
A estrela é guia
Nasce a esperança
A paz irradia
Lina Ramos - PI

Fiz ovos fritos
no asfalto de Niterói
hoje de manhã.
&
Protetor solar
no rosto e no corpo exposto
está adiantando?
Oliveira Caruso - RJ

Na fresca manhã,
Atobás atacam barcos:
Fartura de peixes. 
Antonio Cabral Filho - Rj

Ouço o som do sino
atendamos ao chamado
nasceu Deus-Menino.
Ester Figueiredo - Rj

Luz fosforescente:
Arvore de Natal cheia,
Papai Noel foi-se.
Antonio Cabral Filho - Rj

Natal...mesa farta
Jesus esteve presente
na fé e na mente.
Ester Figueiredo Rj

nascido nos envaidece
a madurez não aconteceu
desenvoltos consomem
Lina Ramos-  PI.

Garça cochilando
à margem do ribeirão: 
É hora da sesta.
Antonio Cabral Filho.Rj

Céu azul de manhã
as aves estão alegres
novo dia surge...
Ester Figueiredo - Rj

No tilintar das taças
está a união das raças:
Brinde ao Ano Novo.
Ester Figueiredo - Rj

Tarde sombria
Potro saltita no campo
Vem tempestade
Isac De Melo
Rio branco Acre
*

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

16 HAICAIS * Ronnaldo Andrade - SP

* 16 HAICAIS *
*















*


SOBRE O AUTOR


Ronnaldo Andrade
&




Ronnaldo Andrade

é pernambucano, mas mora há
vinte um anos em São Paulo.
Tem formação em Letras. É revisor e acadêmico na
Academia Virtual de Artes Literária (AVAL)
e faz parte de outras entidades literárias. Publicou duas obras:
Na Casa do Sertanejo e CORDEL: A Luta Pela Expressão.
Tem inédito seis livros, sendo dois de haicais, dois de trovas,
um de sonetos e outro de poesias diversas. Além de três cordéis.

domingo, 3 de junho de 2018

Sebastião Vasconcelos / Haicais * Antonio Cabral Filho - RJ

Sebastião Vasconcelos / Haicais(*) 















Sebastião Vasconcelos - PB, iniciou curso de economia mas não concluiu, é ex funcionário do BB, tecnico em meteorologia com atuação no INMET - Instituto Nacional de Meteorologia. É funcionário da Prefeitura Municipal de Campina Grande. 
*

segunda-feira, 30 de abril de 2018

Kobayashi Issa / O Haicaísta Feliz / José Lira * Antonio Cabral Filho - RJ

*O Haicaísta Feliz /  Kobayashi Issa*
José Lira 
Crossing Borders 2018
"
Um doa mais queridos haicaístas do Japão, Kobayashi Issa teve uma vida marcada por infortúnios. Sua mãe o deixou órfão aos três anos; a madrasta o impediu durante vinte e cinco anos de apossar-se de uma modesta casa, único bem que o pai lhe deixara; casou-se aos cincoenta e três, idade que na sua época já correspondia à velhice; perdeu a mulher e quatro filhosainda crianças; casou-se outra vez; separou-se; voltou a casar; perdeu a casa num incêndio; e não chegou a ver nascer a última de suas filhas. Tinha tudo para ser um poeta amargurado, mas a irreverência e a ironia são as características mais marcantes de sua escrita, tornando-o diferente de todos os outros  grandes mestres do haicai, apesar de que os sentimentos de solidão e transitoriedade próprios desse tipo de poema também permeiam seus textos.
Muitos dos haicais de Issa, nos quais ele se mistura a moscas, pulgas, piolhos, lesmas e outros seres menores, são impregnados de uma cósmica e pungente correlação entre as fugazes preocupações humanas e a calma submissão dos animais aos designios da natureza. 
Esta não é, na verdade, matéria incomum nesse gênero poético que tem a mesma natureza como foco, mas ninguém como Issa tratou com tanta singeleza e descontração as questões existenciais subjacentes a toda obra literária.
Sem as consultas e os empréstimos feitos às traduções de Issa em outras línguas que não a nossa não me teria sido possível reunir aqui estas minhas "versões adaptadas". 
Registro com gratidão os nomes de R. H. Blyth ( Haiku ) e Jean Cholley  ( En Village de Miséreux ), fontes seguras de referências à vida e à obra do mestre. 
Esta brevíssima mostra dos mais de vinte mil haicais de Issa com certeza omitiu textos essenciais e incluiu outros que só se justificam por inevitáveis questões de aptidão tradutória e gosto pessoal.
"
Observação à Parte:

José Lira é um mestre do haicai. Quem já o conhece sabe disso e quem ainda não tem essa felicidade, deve fazê-lo o mais rápido possível: trata-se de um sábio. O trabalho que ele vem realizando sobre haicai, baseado nos clássicos mais remotos, é de uma importância ímpar no gênero. Afinal, traduzir escritos produzidos numa língua quase desconhecida, fundada nos ideogramas orientais, não é pouca coisa. Além disso, do trabalho intelectual, conta ainda o esforço editorial: publicar e divulgar o material produzido. Esse é outro lado da epopeia, o ingrato, pois o mercado é estreito e excludente. E por dois aspectos: 1 - haicai. 2 - autor brasileiro. Caso fosse um oriental, ainda que não japonês, haveria "outra" via a ser trilhada... 
Nesse sentido, colocar-se ao lado, mesmo desprovido das armas convencionais, tem sido a forma de fazer coro com seu canto. E quem quiser engrossar a banda, seja bem vindo!

**